Segundo dia Olimpíada de Robótica conta com a participação das escolas do interior do Estado

O segundo dia da XI Olímpiada Brasileira de Robótica, etapa Paraíba (OBR/PB/2017), recebeu para competição as escolas do interior do Estado. O evento começou às 8h, na Estação das Artes, prédio ao lado da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano. A OBR prossegue até sexta-feira (1) com entrada aberta ao público de todas as idades.

O professor de física e informática, Wedson João dos Santos, trouxe para competição três equipes com seis estudantes da Escola Pedro Bezerra Filho, do município de Camalaú, cidade que fica aproximadamente 310 quilômetros da Capital. “Estou há quatro anos trabalhando com eles essa parte da robótica escolar e o desenvolvimento dos alunos é visível”, comentou Wedson Santos, que no ano passado conseguiu classificar uma equipe para a final. “Este ano estamos na expectativa de que mais uma chegue à final”, disse.

A aluna Maria Gessica dos Santos Lima, 18 anos, participa pela segunda vez da OBR Paraíba, como integrante da equipe PBF1. “Ano passado eu tinha notas muito ruins em física, matemática e química, mas consegui recuperar e a robótica me ajudou a entender na prática como os cálculos são feitos”, contou Gessica Lima.

A empresa Sistech montou um stand no lugar com alguns protótipos de robôs e peças para os mesmos e está ministrando, gratuitamente, palestras sobre a interdisciplinaridade da robótica com as outras áreas do conhecimento. As palestras estão acontecendo miniauditório 4 da Estação das Artes, sempre a partir das 15h.

“Na parte de montagem e programação eu não fazia ideia de como acontecia, mas depois de algumas aulas vamos desmistificando os conceitos”, comentou Andreza Rayane Paulino da Silva, 17 anos, da equipe PBF2 da Escola Pedro Bezerra também de Camalaú.

Primeiro dia – No primeiro de competição, ontem, 29 de agosto, foram classificadas três equipes da mesma instituição, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Frei Afonso, no nível 1, que foram: Cybersnakes (1º lugar), Black and Black (2º lugar) e Mitsuki (3º lugar).

No nível 2 se classificaram para a final, que será sexta-feira (1), as equipes: Deus Vult do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) do campus João Pessoa (1º lugar), Gigantes de Aço 1 da Escola de Ensino Médio e Fundamental Afonso Pereira da Silva e a Konami Code (2º lugar) e o João Machado Colégio e Curso de João Pessoa.

A competição conta com uma equipe de árbitros do curso de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Nesta quinta-feira (31), participam as equipes da Regional C. A final acontecerá no dia 1 de setembro (sexta-feira). Os participantes poderão conferir no site da OBR (http://www.sistemaolimpo.org/regionais/etapas/) a data que irá competir. Lembrando que a final ocorrerá com os 10 primeiros colocados das três regionais.

A novidade este ano é a utilização do “Tournamenter”, um aplicativo para divulgação imediata do placar da competição no site da OBR www.obr.org.br. “Isso torna o evento mais transparente e consequentemente o resultado sairá mais rápido para o público de todo país”, contou Fagner Ribeiro, que está à frente da organização do evento na Estação Cabo Branco há sete anos.

 

Como será? – Quinta-feira (31), terceiro dia, o evento prossegue com início às 8h e término às 17h, com a entrega das medalhas as equipes da Regional C.

Na sexta-feira (1) acontece a Final Estadual, a partir das 8h. Neste último dia os melhores de cada regional competem novamente para decidir quem serão os primeiros colocados do Estado.

 

Premiações – Outra novidade este ano é o Prêmio Extra Maker, que são medalhas entregues aos alunos da equipe que criou um robô com peças feitas pelos próprios alunos, e com menor número possível de materiais prontos de kits. As três primeiras equipes vencedoras receberão medalhas de ouro, prata e bronze. Existem também as premiações extras que são:

Melhor Estreante – Medalhas aos alunos da equipe com melhor pontuação na competição dentre todas as equipes estreantes, excetuando a campeã da competição caso ela seja uma estreante. Uma equipe será considerada estreante se todos os seus integrantes (excetuando-se o tutor/professor) estiverem participando da OBR modalidade prática pela primeira vez.

Escola Pública – Medalhas aos alunos da equipe com melhor pontuação na competição dentre todas as equipes de escolas públicas participantes, excetuando a campeã da competição.

Escola Privada – Medalhas aos alunos da equipe com melhor pontuação na competição dentre todas as equipes de escolas privadas, particulares ou confessionais participantes, excetuando a campeã da competição.

Robustez – Medalhas aos alunos da equipe que produziu o robô mais robusto da competição, excetuando a campeã da competição.

Inovação – Medalhas aos alunos da equipe que produziu algum processo inovador no robô e que tenha ajudado a conquistar pontos na competição, excetuando a campeã da competição.

Design – Medalhas aos alunos da equipe que produziu o robô mais bonito e bem acabado, excetuando a campeã da competição.

Dedicação – Medalhas aos alunos da equipe, excetuando a campeã da competição, que mais se dedicou, ajudando a si própria, bem como outras equipes, a superarem desafios ao longo da competição regional.

Programação – Medalhas aos alunos da equipe, excetuando a campeã da competição, cujo código foi destaque na avaliação dos juízes.

 

SERVIÇO:

XI OLIMPÍADA BRASILEIRA DE ROBÓTICA (OBR)

Período: 31 de agosto e 1 de setembro de 2017

Local: Estação das Artes – Altiplano Cabo Branco

Horário das competições: 8h às 17h

Datas dos Regionais:

·        Regional A – Dia 29 de agosto (terça)

·        Regional B – Dia 30 de agosto (quarta)

·        Regional C – Dia 31 de agosto (quinta)

·        Final Estadual – Dia 1 de setembro (sexta-feira)

Mais informações: 3214.8270 – 3214.8303.

 

Fonte: Secom-JP

Foto: Secom-JP

Outras notícias