Polícia prende suspeito de assassinar policial civil em João Pessoa com ajuda do Disque Denúncia

 

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, apresentou em uma entrevista coletiva, na manhã desta quinta-feira (5), Marcelo Ramos Alves, de 33 anos. Ele é apontado como o responsável pelo assassinato do policial civil Waldir Ponde di Leon, durante uma briga de trânsito  no mês de maio de 2016, no bairro do Valentina Figueiredo, em João Pessoa. Informações repassadas pelo Disque Denúncia (197) contribuíram de forma relevante para a identificação e prisão do suspeito.

 

De acordo com o delegado da Homicídios, Reinaldo Nóbrega, para a elucidação do crime foi realizada uma complexa investigação policial. “Quando ocorreu o assassinato e iniciamos o percurso investigativo, partimos de três frentes de trabalho: um crime passional; acerto de contas (por causa do trabalho policial) e um suposto latrocínio.

 

Após os levantamentos, chegamos a conclusão que teria sido uma briga de trânsito, identificamos o veículo em que estava o Marcelo e a partir disso fomos juntado as peças. Com a ligação recebida pelo número 197 – Disque Denúncia da Secretaria da Segurança e Defesa Social, tivemos conhecimento que o suspeito estava no Rio de Janeiro com toda família. Continuamos com o processo investigativo e conseguimos prender o Marcelo na tarde do último dia 30 de março, concluindo assim com êxito todo o esforço da Polícia Civil para a elucidação desse caso”, disse a autoridade policial.

 

Marcelo Ramos Alves foi encontrado no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro (RJ). A ação coordenada pelo delegado Reinaldo Nóbrega contou  também com o apoio de policiais civis do Rio de Janeiro. O suspeito foi identificado e preso em um restaurante.

 

Durante depoimento, ele confessou ser o autor do disparo de arma de fogo que matou o escrivão Waldir Ponce di Leon, porém afirmou que não sabia da atividade da vítima. Marcelo Ramos já tem passagem pela Polícia e já cumpriu pena pelo crime de posse e porte ilegal de arma de fogo. Ele vai passar por audiência de custódia e ficar a cargo das decisões da Justiça.

 

 

 

 

Fonte: Secom 

Outras notícias