Lula e Dilma
Foto: Agência Brasil

Aliados políticos, na Paraíba, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ex-presidente Dilma Rousseff prometem agitar o cenário político estadual, com repercussão nacional, por ocasião da vinda dos ex-mandatários no dia 19, Dia de São José, para verificar a conclusão das obras da transposição de águas do rio São Francisco, no Eixo que contempla Monteiro, no Cariri, e que foi entregue recentemente pelo presidente Michel Temer. Cogita-se uma cerimônia em que Lula e Dilma mergulharão nas águas derivadas da transposição – obra cuja paternidade o ex-presidente, sobretudo, reivindica.

A estratégia tem por finalidade ofuscar a passagem de Temer pela Paraíba e minimizar qualquer empenho seu na aceleração da transposição. O presidente estadual do PT, Charliton Machado, está definindo a programação em articulação com o Palácio da Redenção, onde o governador Ricardo Coutinho, do PSB, confirmou que estará presente à recepção aos dois ex-mandatários. No discurso que fez na presença de Temer, Ricardo Coutinho deu crédito a Lula e Dilma na execução de obras que desafiaram governantes durante séculos. O ensaio para o evento em homenagem a Lula começou ontem, quando o plenário da Assembleia Legislativa aprovou a outorga da Medalha Epitácio Pessoa, a mais alta codecoração da Casa, tanto para Lula como para Dilma.

O deputado estadual petista Anísio Maia não esconde que a articulação em marcha é uma espécie de pontapé para a deflagração da candidatura de Lula ao Planalto em 2018. Apesar de ameaças de sanção penal que pairam sobre o ex-presidente petista, ele está disposto a correr riscos na disputa eleitoral, como uma espécie de revanche pelo fato de Dilma ter sofrido impeachment no Congresso Nacional. Lula, ao mesmo tempo, centrará fogo no governo de Michel Temer, questionando não apenas a sua legitimidade mas verberando contra medidas tomadas que, a seu ver, retiram conquistas sagradas dos trabalhadores. O deputado Frei Anastácio Ribeiro, do PT, acusa o governo Temer de atrasar o avanço das reformas reivindicadas pela sociedade brasileira. Na sua opinião, isto recoloca em evidência o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, do PSD, que foi eleito em 2012 pela sigla do PT mas acabou migrando para outra agremiação quando se avolumaram as denúncias contra cabeças coroadas petistas envolvidas em escândalos, ressaltou que não foi convidado para a programação em homenagem a Lula e Dilma. Ele procurou ser ponderado nas declarações feitas ontem, assinalando que a discussão sobre paternidade de obras é inócua e, até certo ponto, estéril. “As obras pertencem ao povo, e não é correto fazer-se cavalo de batalha com assuntos que são urgentes para a população”, acrescentou o alcaide.

 

Fonte: Os Guedes

Repórter: Nonato Guedes

Foto: Agência Brasil

 

Outras notícias