Na Pop FM: Veneziano lamenta punição do PMDB, mas reafirma apoio a Maranhão em 2018

Em entrevista nesta sexta-feira (10) ao programa Sem Censura na rádio Pop, 89,3 FM, o deputado federal, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) comentou a decisão de seu partido de suspendê-lo, e mais cinco outros parlamentares, por 60 dias, por terem votado a favor da denúncia contra o presidente Michel Temer.

Conforme Veneziano, a sigla vai deixando de ser democrática e toma uma guinada para o autoritarismo.

“Uma frase que simboliza e retrata é de um partido democrático a um partido autoritário, ou seja, desconhecer a liberdade de convencimento dos seus partidários nunca foi ato do PMDB, passou a ser neste instante. Então eu tenho a lamentar profundamente essa extrema guinada comportamental de um partido que se fez forjado a partir de lutas democráticas num partido autoritário”, afirmou.

Veneziano ainda não sabe qual decisão irá tomar a partir desta medida, incluindo uma possível saída do partido, o deputado afirmou que ainda irá se reunir com os outros cinco companheiros punidos para poder se manifestar.

“Devemos recorrer desta decisão, repito, que é autoritária, contraria aos princípios que regiam o PMDB. Ainda vou esperar para me pronunciar em relação ao que vamos fazer depois de me reunir com os outros cinco companheiros que também foram punidos. Estou tranqüilo. Não tenho cargos federais”, disse.

O deputado também lamentou a posição do vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), que se posicionou favoravelmente a decisão.

“Com todo o respeito que eu tenho pelo ex-deputado, hoje vice-prefeito, Manoel Júnior, mas questionar meu comportamento de fidelidade quando lembramos como foi o comportamento dele em 2014?”, questionou.

Por fim, o peemedebista fez uma exortação para que o partido faça autocrítica dos erros cometidos e que têm provocado o definhamento dos seus quadros.

“Antes de me posicionar sobre a candidatura do governador José Maranhão é preciso criar condições para que seja viabilizada. É um nome de peso e qualidade, mas não apenas isso é suficiente. Em não se viabilizando essa postulação, o cenário comporta outras alternativas e a minha posição é a mesma que 95% do PMDB tomou no segundo turno das eleições em 2014”, lembrou.

Sobre um possível acordo com o prefeito Luciano Cartaxo (PSD), Veneziano desconversou, mas lembrou que já esteve junto com o gestor da Capital em eleições passadas.

“Estivemos juntos na campanha do governador Maranhão quando ele era candidato a vice-governador, mas não houve uma relação politicamente falando. Então, não se tem ainda a postulação dele se é candidato ou se permanecerá no cargo. Mas isso diz respeito ao grupo de lá, entre PSD e PSDB”, argumentou o deputado.

 

Fonte: Redação POP

Outras notícias