Perda de dente pode ser resolvida rapidamente pelo dentista

No Brasil há ainda muitos casos de adultos com “janelinhas”. Os dentes e o sorriso são o nosso cartão de visita, mas eles não estão na boca só para mastigar: eles interferem no posicionamento da língua, na fala e até na postura corporal”, analisa a odontopediatra Mirna Matoba (CRO-SP 41.201), da Clínica Matoba. Os tratamentos são variados e o resultado, hoje, é muito mais natural do que as antigas dentaduras e coroas.

As causas para a perda do dente tendem a variar conforme a idade: pessoas mais jovens sofrem mais com traumas, como quedas ou acidentes de moto ou de bicicleta.

“A cárie ou a doença periodontal também podem levar a perda do dente. A cárie causa uma cavidade no esmalte do dente. Se a cavidade for muito grande não é possível reaproveitar nem o dente, nem a raiz”, explica a odontopediatra.

“Nos pacientes mais idosos também pode estar vinculado ao trauma e problemas periodontais, que podem levar à perda óssea contínua, com o avanço da doença periodontal. A inflamação contínua do tecido periodontalleva a perda de osso ao redor do dente, isso faz perder o suporte ósseo que leva a perda do dente”, avalia André Barros de Held (CRO-SP: 87.035), mestre e professor de Implantondia da Faculdade de Medicina e Odontologia São Leopoldo Mandic.

O primeiro estágio da doença periodontal é a gengivite, uma doença silenciosa que não causa dor, mas provoca o sangramento durante a escovação.

“Quando você perde um dente, funciona como uma engrenagem na boca, os dentes vizinhos começam a tentar compensar o que foi perdido, começam a se mover, a entortar, a tombar e, existe, ainda, o risco de outro dente cair. Não vai ficar localizado só naquele dente”, alerta Mirna.

 

Perda de dente tem conserto

Para resolver o problema de perda do dente, o dentista irá avaliar caso a caso, mas as soluções podem incluir a necessidade de tratamento ortodôntico, o uso de próteses.

Se o dente acabou de “cair”, é possível recolhê-lo e leva-lo ao dentista em até quatro horas – nesse intervalo, o dente ainda tem chances de ser reimplantado. A mesma regra vale se o dente quebrar. Passado esse período, o dente natural vai servir apenas como referência para os tratamentos executados pelo especialista.

O dentista irá avaliar o uso de implantes.“O implante é uma peça semelhante a um parafuso, que vai dentro do osso, para suportar uma prótese unitária ou múltipla. Há as próteses [pontes] fixas, que ficam presas a outro dente, e as próteses removíveis – o dentista irá avaliar a mais indicada em cada caso”, comenta André.

Com o tratamento, é possível recuperar completamente a função por meio do dente substituto. Apenas, haverá uma diferença quanto ao tato, já que o novo dente não terá o ligamento periodontal.

 

 

 

Fonte:  iG 

Foto: Agência Alagoas

Outras notícias