Saiba como se prevenir das doenças alérgicas com a mudança de estação

 

 

Setembro está se aproximando, e com ele, a estação considerada a mais bonita do ano – a Primavera. Mas é nesse período, de florescência das árvores e polinização das plantas, que aumentam os casos de doenças alérgicas como conjuntivite, rinite, entre outros problemas respiratórios.

Alergias da Primavera não são, contudo, um problema exclusivo de regiões com intensa vegetação, já que os fortes ventos característicos da estação fazem com que as regiões urbanas também fiquem expostas ao pólen. Mas a adoção de alguns hábitos podem prevenir a manifestação de sintomas alérgicos, explica a médica do Centro de Saúde de Mandacaru, Nadja Naira.

“Higiene é fundamental, principalmente lavar as mãos, para evitar vírus e bactérias. A hidratação e alimentação adequada, com a ingestão de alimentos saudáveis, como frutas e verduras também ajudam muito”, destacou a profissional da saúde, ressaltando que as pessoas devem procurar uma das Unidades de Saúde da Família (USF) quando apresentarem os sintomas.

“Porque são as Unidades de Saúde que podem fazer a triagem a fim de diagnosticar os casos que são sintomas de alergias ou de algum outro tipo de doença, para encaminhar para os locais adequados”, alertou.

USF - As Unidades de Saúde da Família (USFs) trabalham para atender às necessidades básicas de prevenção e promoção à saúde da população. A função da USF é prestar assistência contínua à comunidade, acompanhando integralmente a saúde da criança, do adulto, da mulher, dos idosos, enfim, de todas as pessoas que vivem no território sob sua responsabilidade.

Devem procurar as Unidades de Saúde casos que necessitem de assistência básica com consultas clínicas e que não precisem de assistência de média ou alta complexidade, como tosse, resfriado, febre, diarreia e vômito (que não ocasionou desidratação), coceira no corpo, dores nas articulações, dores na garganta sem febre, verificação de pressão e verificação de taxas de glicemia. Os casos de suspeita de dengue também são atendidos nas USFs.

UPAs – As Unidades de Pronto Atendimento são referências para atendimentos de ocorrências de média complexidade, e podem evitar que pacientes sejam encaminhados aos prontos-socorros dos hospitais. As UPAs são equipadas para socorrer pessoas com problemas de pico hipertensivo, vômito e diarreia intensa (com quadros de desidratação), febre alta, fraturas, cortes, infartos e outras ocorrências de média complexidade.

Serviço – Na Rede Municipal de Saúde, as crianças alérgicas e com problemas respiratórios são atendidas no Hospital do Valentina, com atendimento 24 horas por dia em casos de urgência e emergência. Para o acompanhamento, as consultas devem ser marcadas na Unidade de Saúde da Família (USF) onde a criança é cadastrada.

Fonte: Secom-JP

 

Outras notícias