Delegado usa “merda” feita por morador de rua para apontar falta de segurança

Em despacho, o servidor inocenta sem-teto e culpa políticos pela mal administração pública

Por Iracema Almeida há 6 dias

Quando se pensa que já viu de tudo nesse país, vem o delegado da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Aldo Lopes de Araújo, e faz um despacho para lá de cômico, se não fosse trágica a segurança pública no estado.  No último domingo (5), um morador de rua foi conduzido à 2ª Delegacia da Zona Norte de Natal-RN, por guarda municipais, após ter defecado nos muros de um repartição pública da cidade.

Os guardas levaram o sem-teto com a intenção de criminalizar o feito, porém o delegado de plantão preferiu não incriminar o suspeito. Aliás, aproveitou o despacho para relatar que ‘a merda’ não está em “esvaziar o intestino” nos muros da instituição pública, mas sim em todo o sistema de segurança estadual e municipal, o incluindo também.

“Ele foi trazido a esta delegacia pelo simples fado de ter cagado no intramuros da repartição pública, mal cuidada e mal vigiada, quando a cagada maior é dos administradores, a partir do momento em que não cuidam direito da segurança do prédio... Trata-se a presente ocorrência de uma cagalança geral: do prefeito ao secretário..., e porque não dizer da parte deste delegado, ora fazendo uso de linguagem pouco usual, porém vigorosa, para redigir o presente despacho.”, escreve o Aldo Lopes.

Veja despacho: