PM e ex-PM acusados de matar Marielle permanecerão presos também por posse ilegal de arma

Alexandre Mota de Souza, amigo de Ronnie Lessa, também ficará preso por tempo indeterminado. Na casa de Alexandre, a polícia encontrou 117 fuzis desmontados

Foto: Reprodução/TV Globo
Por Ângela Duarte há 6 meses

A Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quinta-feira (14), em audiência de custódia, que o policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, acusados pelo Ministério Público pelos homicídios da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, permanecerão presos também pelo crime de posse ilegal de arma.

Alexandre Mota de Souza, amigo de Lessa, também foi levado à audiência e foi decidido que ele também ficará preso por tempo indeterminado. Na casa de Alexandre a polícia encontrou 117 fuzis incompletos desmontados. Queiroz foi preso com uma pistola e Lessa tinha armas em casa.

O trio foi levado nesta quinta à Cadeia Pública de Benfica, na Zona Norte do Rio, para ser ouvido sobre as circunstâncias da prisão. Lessa, Queiroz e Souza deixaram a Divisão de Homicídios (DH) por volta das 12h desta quinta.

O resultado da audiência em Benfica poderia conceder a soltura apenas a Souza, já que Lessa e Queiroz também estão presos preventivamente acusados pelo Ministério Público de participação no assassinato de Marielle e Anderson.


Fonte: G1