Terreiro de candomblé é depredado em Nova Iguaçu e religiosos são expulsos

Testemunhas acusam traficantes. Baixada Fluminense registrou 30 ataques a centros em 2018, segundo comissão contra intolerância

Foto: Reprodução/TV Globo
Por Ângela Duarte há 7 meses

G1

Um terreiro de candomblé em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foi invadido e destruído na última segunda-feira (25). Religiosos contam que foram expulsos por traficantes da região. O objetivo, dizem testemunhas, é transformar o centro em uma base para os criminosos. A polícia investiga o caso.

Fotos mostram o vandalismo: utensílios para oferendas foram quebrados, o altar, desmontado, e os criminosos chegaram a colocar fogo em alguns espaços. A fachada do terreiro chegou a ser pichada com a frase "Jesus é dono do lugar".

Segundo ataque

De acordo com representantes do terreiro, o local já havia sido invadido no ano passado, quando o tráfico os impediu de fazer qualquer tipo de manifestação religiosa. A ordem foi atendida, mas, mesmo assim, a casa foi tomada novamente.

O babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, diz que em 2018 foram 30 registros de ataques a terreiros só na Baixada Fluminense.

"Quem é que vai indenizar essa família? A segurança é uma responsabilidade do estado", destacou Ivanir.

De acordo com a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância, o caso foi registrado como violação de domicílio, constrangimento ilegal, dano e furto – além do Artigo 20 da Lei Caó, que trata de racismo.