Feira de Emprego tem 'quebra-quebra' e candidatos denunciam suposto 'favorecimento'

Com filas quilométricas e em baixo de chuva, nove mil candidatos participaram da 2º Feira de Emprego do Grau Técnico, realizada em Campina Grande nesta quinta-feira (25)

Foto: Tv Paraíba
Por Ângela Duarte há 6 meses

Fonte: ClickPB

Com filas quilométricas e em baixo de chuva, nove mil candidatos participaram da 2º Feira de Emprego do Grau Técnico, realizada em Campina Grande nesta quinta-feira (25). A ação terminou em confusão com vidraças quebradas e participantes reclamando de suposto 'favorecimento' nas vagas ofertadas.  

Segundo denúncias de candidatos, a escola teria favorecido alunos da própria instituição e não os que estavam há mais tempo nas filas, que se estenderam por diversos quarteirões do bairro. 

O caso se deu por volta das 13h, quando três mil atendimentos tinham sido registrados. Todos os demais participantes seriam atendidos até o horário marcado para o fim do evento, às 17h. No entanto, após os atendimentos foram distribuídas em torno de 800 fichas aos primeiros candidatos que formavam uma fila com aproximadamente mais de seis mil pessoas. Foi nesse momento que o tumulto começou e um grupo atacou a estrutura da escola, que teve um painel eletrônico e uma vidraça quebrados. 

Em nota divulgada, a instituição explica que a ação de vandalismo foi praticada por uma minoria e que não houve favorecimento a nenhum aluno.  Segundo o texto, candidatos insatisfeitos com o preenchimento das vagas de emprego previamente divulgadas, teriam cometido os atos de vandalismo depredando o patrimônio da escola e colocando em risco alunos, funcionários e colaboradores da unidade. 

NOTA

Grau Técnico, maior rede de ensino técnico particular do Brasil, vem a público esclarecer os fatos ocorridos na manhã e tarde desta quinta-feira, 25 de abril, em sua unidade do município de Campina Grande, no Estado da Paraíba.

A rede lamenta os incidentes propagados durante a 2ª edição da Feira de Empregabilidade realizada por aquela unidade, em que uma pequena parcela do público presente, insatisfeito com o preenchimento das vagas de emprego previamente divulgadas, cometeu atos de vandalismo depredando o patrimônio da escola e colocando em risco alunos, funcionários e colaboradores da unidade. Sobre sua responsabilidade quanto à realização do evento a escola esclarece:

1) A exemplo do que acontece em outras unidades do Grau Técnico em todo o Brasil, a rede de ensino vem promovendo eventos gratuitos visando oferecer, com o apoio de diversos parceiros, empresas e entidades públicas, vagas de emprego e estágio – cerca de 200 na unidade de Campina Grande, previamente anunciadas – e orientações profissionais para pessoas interessadas em se colocar ou se recolocar no mercado de trabalho. Em todas as oportunidades anteriores, inclusive nesta data, nossas 41 unidades realizaram eventos do mesmo gênero, com presença de público muitas vezes até maior, não havendo notícia, entretanto, de qualquer incidente. Infelizmente, talvez em razão das dificuldades que o mercado de trabalho vem enfrentando, aliadas à presença de alguns insatisfeitos com esgotamento das fichas de atendimento, foram registrados esses incidentes em Campina Grande.

2) Aproximadamente nove mil pessoas compareceram à Feira de Empregabilidade, ainda na manhã desta quinta-feira, com o objetivo de se candidatar às vagas oferecidas.

3) Até o momento do início dos incidentes, por volta das 13h, o Grau Técnico de Campina Grande havia realizado cerca de três mil atendimentos. A exemplo do que ocorre em outras praças, todos os demais participantes seriam atendidos até o horário marcado para o fim do evento, às 17h.

4) Frente a grande procura, e com o objetivo de organizar o processo seletivo, após os cerca de três mil atendimentos foram distribuídas em torno de 800 fichas aos primeiros candidatos que formavam uma fila com aproximadamente mais de seis mil pessoas.

5) Quando do início do tumulto, e tendo em vista as depredações ocorridas, como medida preventiva de segurança a escola teve que fechar as portas visando evitar maiores danos ao patrimônio e à integridade física de alunos, funcionários e colaboradores.

Grau Técnico mais uma vez lamenta os incidentes ocorridos e se coloca à disposição das autoridades competentes para os eventuais esclarecimentos necessários e informa a seus alunos e colaboradores a normalização de nossa programação educacional, haja vista que já estão sendo providenciados os devidos reparos à estrutura danificada.