'Filhas do campo': Estudante faz reportagem em quadrinhos sobre agricultoras paraibanas

Gabriela Güllich se formou em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba e fez a primeira reportagem em quadrinhos da instituição como trabalho de conclusão de curso.

Foto: Reprodução/Gabriela Güllich
Por Ângela Duarte há 5 meses

Fonte: G1

Com o intuito de retratar a história de mulheres agricultoras do Conde, Paraíba, Gabriela Güllich fez uma reportagem especial, em quadrinhos, como trabalho de conclusão do curso de Jornalismo, da Universidade Federal da Paraíba. Apresentado no dia 9 de maio e obtendo nota máxima, "Filhas do campo: um retrato em quadrinhos de agricultoras assentadas na Paraíba" foi escrito e desenhado por Gabriela, que durante o curso uniu duas paixões: o jornalismo e o desenho.

O trabalho conta a história de Maria das Neves, Dona Luíza e Dona Zélia, mulheres que vivem em terras assentadas no Conde, Litoral Sul da Paraíba, e que tiveram a vida transformada graças ao assentamento de terras - área que era improdutiva e foi distribuída para agricultura familiar.

Abordando temas como reforma agrária, igualdade de gênero e reforma da previdência, em dez páginas, o trabalho foi a primeira reportagem em quadrinhos do curso de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba e a primeira narrativa em quadrinhos de teor jornalístico a tratar o tema na Paraíba.

Jornalismo e histórias em quadrinhos

O desenho surgiu primeiro na vida da cuiabana de 21 anos - que mora em João Pessoa desde os 10. Gabriela começou a desenhar na infância, os quadrinhos vieram um tempo depois, quando começou a estudar desenho no Espaço Cultural. Juntar as ilustrações ao jornalismo nasceu a partir de uma pesquisa sobre comunicação visual, quando ela conheceu o trabalho de Joe Sacco, jornalista famoso por reportagens em quadrinhos acerca de conflitos no oriente médio.

A partir daí, todas as pesquisas acadêmicas de Gabriela foram direcionadas à narrativa ilustrada, jornalismo gráfico e de quadrinhos. A primeira publicação de um trabalho autoral veio em 2018, como trabalho de conclusão do seu estágio: “Quatro cantos de um todo”, lançado pelo Sesc, conta a vida de quatro pessoas beneficiadas com as ações da instituição.

Devido a este trabalho, Gabriela viu que seria possível criar algo em quadrinhos para o seu TCC, mas o tema só surgiu quando, no apagão que atingiu o Nordeste ano passado, a jovem conversou com a avó, que contou sobre sua vida no Paraná e de como criou seus filhos graças à agricultura.

Com a inspiração e o vínculo pessoal com o tema, Gabriela começou a pesquisar sobre agricultoras na Paraíba, chegando até o projeto de extensão ‘Caminhos do Roçado’, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFPB. Por meio do projeto, que objetiva conhecer e divulgar iniciativas de mulheres de áreas rurais que trabalham com atividades não-agrícolas, a estudante conheceu as personagens de seu quadrinho.

Para produzir o material, Gabriela conta que foi até o Conde diversas vezes e "dava um jeito", conseguindo carona ou não. No Sítio Tambaba, ela entrevistou Maria das Neves e sua mãe Dona Luíza, idealizadoras do “Doces Tambaba”.

Depois, foi até a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag - PB), em Jaguaribe, João Pessoa, falar com a Secretaria da Mulher, gerida pelas secretárias Ivanete Leandro da Silva e Marleide da Silva Santos. Por meio da Fetag-PB e do Sindicato de Agricultores do Conde, Gabriela conheceu Dona Zélia, uma das fundadoras do assentamento Rick Charles.

Agora formada, Gabriela conta que concluir o curso é uma grande realização. "Estou muito feliz de poder ir buscar agora novos desafios, tendo estudado algo que eu amo e que eu percebo a importância dessa profissão, principalmente no momento atual", destaca.