Ministro da Educação diz que presidente do Inep foi demitido porque 'puxou o tapete'

Em audiência na Câmara, Ricardo Vélez afirmou que decisão assinada por Marcus Vinicius Rodrigues de adiar a avaliação da alfabetização de crianças não foi debatida no 'seio do MEC'

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Por Ângela Duarte há 5 meses

Fonte: G1

Em audiência pública na Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Ricardo Vélez, disse nesta quarta-feira (27) que o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Marcus Vinicius Rodrigues, foi exonerado porque "puxou o tapete" ao "mudar de forma abrupta" entendimento do ministério.

Rodrigues foi exonerado na terça-feira (26) após a publicação de uma portaria polêmica, que adiava para 2021 a avaliação da alfabetização de crianças. A portaria foi publicada na segunda e revogada na terça.

"A última demissão no MEC. Por quê? O diretor-presidente do Inep puxou o tapete. Ele mudou de forma abrupta o entendimento que já tinha sido feito para a preservação da Base Nacional Curricular e fazer as avaliações de comum acordo com as secretarias de educação estaduais e municipais", afirmou Vélez.

O ex-presidente do Inep disse que assinou a portaria com respaldo do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim. Um documento mostra que, de fato, Nadalim havia feito a recomendação para que a alfabetização não fosse avaliada em 2019.

Para o ministro, embora Rodrigues tenha se baseado em pareceres técnicos, a questão não havia sido debatida no “seio do MEC”.

“Realmente, considerei um ato grave, que não consultou o ministro, se alicerçou em pareceres técnicos, mas não foi debatido no seio do MEC”, afirmou Vélez.