Retrospectiva 2018: Cássio amarga quarta colocação e não se reelege senador

Foi a segunda derrota eleitoral da carreira política do tucano desde que foi eleito deputado federal em 1986.

Por Ytalo Kubitschek há 8 meses

O ano de 2018 reservou uma grande surpresa na política paraibana.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) não se reelegeu para o Senado, amargando a quarta colocação na disputa. Os senadores eleitos pela Paraíba foram Veneziano Vital (PSB) e Daniella Ribeiro (PP).

Cássio não chegou a figurar entre os dois mais votados em nenhum momento da apuração e após a coleta de votos de todas as urnas da Paraíba, ficou em quarto lugar, com 601.343 votos (17,5%), atrás de Luiz Couto (PT), que também ficou de fora com 792.420 votos (23,1%) em terceiro lugar.

O tucano oscilou entre o primeiro e o segundo lugar nas pesquisas divulgadas pelo Ibope durante a campanha eleitoral na Paraíba.

Cássio foi eleito senador da república pela Paraíba em 2010. Durante os oito anos de mandato, Cássio Cunha Lima foi líder do PSDB no Senado, atual vice-presidente do Senado, e um dos principais líderes da oposição do governo de Dilma Rousseff (PT). É a segunda vez, desde 1986, quando se candidatou pela primeira vez, ao cargo de deputado federal, que Cássio Cunha Lima perde uma eleição.

Agradecimento

Após o resultado das eleições, Cássio Cunha Lima se pronunciou sobre sua primeira derrota em uma eleição desde que começou sua carreira política.

“Minha primeira palavra é de louvor a Deus e de agradecimento de todos os paraibanos que me honraram com seu votos. Sigo para Brasília para dar sequência ao meu mandato, sempre com o objetivo de contribuir, para que o Brasil saia dessa longa crise. Cumprimento todos os eleitos, saúdo todos que participaram do pleito e mesmo não tendo logrado êxito contribuíram para esse momento importante da vida nacional. Fizemos uma campanha absolutamente limpa e quero agradecer cada abraço que me foi dado. Vou continuar procurando fazer o bem”, explicou.

Histórico

Cássio Cunha Lima começou sua carreira política ao se candidatar em 1986 a deputado federal, sendo eleito aos 23 anos como um dos parlamentares mais jovens na época. Participou da Assembleia Constituinte e ajudou redigir a atual Constituição Federal.

Foi eleito prefeito de Campina Grande, sua cidade natal, por três vezes (1988, 1996 e 2000). Abriu mão do último mandato para se candidatar a governador da Paraíba. Foi eleito governador em 2002 e reeleito em 2006.

Teve seu mandato cassado em 2009, após julgamento de recursos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando segundo colocado das eleições de 2006, José Maranhão (MDB) assumiu como segundo colocado.

Em 2010 é eleito senador pela Paraíba com uma votação expressiva de 1.004.183 votos, embora, enquadrado na Lei da Ficha Limpa, só assumiu o mandato em março de 2011 após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que a lei não iria retroagir. Foi candidato a governador da Paraíba em 2014, mas foi derrotado no 2º turno pelo atual governador Ricardo Coutinho (PSB).

RPN Online