Campinense sofre com problemas físicos e tem média de um jogador lesionado por semana em 2019

Elenco rubro-negro tem sofrido com lesões desde a pré-temporada. No momento, são quatro jogadores no Departamento Médico, dos 12 que se machucaram desde a formação do grupo

Foto: Samy Oliveira/Campinense
Por Ângela Duarte há 6 meses

Terror da temporada de 2019 no Campinense, as lesões dos atletas estão movimentado bastante o Departamento Médico do clube. Com várias baixas durante a sequência do Campeonato Paraibano, a situação da Raposa - apesar de líder do Grupo B - não é nada fácil, e o técnico Francisco Diá tem encontrado dificuldades em montar a equipe titular. Atualmente, o elenco rubro-negro conta com quatro jogadores afastados de campo e, no total, 12 atletas já passaram pelo DM desde a pré-temporada.

No momento, quatro jogadores estão entregues ao Departamento Médico: o zagueiro Jean, o volante Dedé e os atacantes Warlei e Chaveirinho (que já está em fase de transição). Entre os lesionados, quem deve passar mais tempo fora dos gramados é Warlei. O atleta se lesionou no jogo contra o Sousa, no último dia 17, e a previsão é de que ele fique sem jogar até meados de abril, podendo perder o restante do Campeonato Paraibano. Já Jean e Dedé estão em fase final de recuperação e devem a voltar a treinar na próxima segunda-feira.

No total, já foram 12 baixas sofridas (contando desde a pré-temporada), com alguns atletas passando pelo DM mais de uma vez. Essa situação tem influenciado diretamente na quantidade de opções para o técnico Francisco Diá montar o time titular. O treinador ainda não conseguiu definir os 11 ideias para a sequência da temporada.

As lesões tiveram início já na pré-temporada. O meia Alisson Xabala se machucou no amistoso preparativo para a temporada de 2019, diante do Treze, em dezembro, e os médicos do clube previram que o jogador ficaria 15 dias afastado. O detalhe é que o meia voltou a lesionar o mesmo músculo machucado e teve que passar mais um período fora dos gramados. Além dele, se machucaram também na pré-temporada o lateral-esquerdo James, que sentiu a coxa durante um treino, e o atacante Felipe Tchelé, que já chegou com um problema muscular que não havia sido tratado corretamente no seu antigo clube. O segundo, inclusive, já acertou sua saída e não integra mais o elenco rubro-negro.

Apesar das lesões, o time de Francisco Diá é líder do Grupo B do estadual — Foto: Reprodução/TV Paraíba

Outro que passou mais de uma vez pelo DM foi o atacante Chaveirinho. O jogador se machucou no jogo contra o Nacional de Patos, ainda no início do Paraibano. Inicialmente, o prazo era de 15 dias fora, mas o jogador voltou a sentir dores. Foi realizado exame de imagem, que constatou rompimento de grau um no músculo adutor da coxa esquerda, e o prazo foi prolongado para 30 dias.

Segundo o fisioterapeuta do clube, Léo Felix, essa situação é normal. Ele explicou que, embora os jogadores tenham machucado o mesmo grupamento muscular, foram músculos diferentes e que isso não foi divulgado por questões de linguagem técnica.

- As lesões foram na mesma região muscular, mas não foram no mesmo músculo. Xabala machucou o grupamento muscular dos posteriores de coxa, que são três músculos. Chaveirinho da mesma forma. Os adutores de coxa são três músculos, e em cada lesão eles machucaram músculos diferentes. Como a gente tenta explicar para que todo mundo entenda, não falamos os nomes específicos dos músculos. Os exames de imagem mostram qual músculo e qual parte foi lesionada.

O fisioterapeuta teve muito cuidado em atribuir um motivo para a grande quantidade de lesões na temporada. Segundo ele, são vários fatores que influenciam na questão física. Dentre eles, se destaca o tempo que os jogadores passaram parados. Porém, ele garantiu que os locais de treinamento e viagens não têm atrapalhado.

- É praticamente impossível a gente apontar um motivo para justificar. Nosso grupo teve várias lesões, não só musculares, mas também articulares. Tem que ver cada caso. A gente poderia ter colocado a culpa no campo caso as lesões fossem de entorse. No entanto, não tivemos nenhuma. Dedé e Warlei machucaram o joelho em um choque. O primeiro no treino, e o segundo no jogo.

Já recuperados de lesão e liberados para ingressar no time do técnico Francisco Diá, também passaram pelo Departamento Médico o goleiro Diego, o lateral Gustavo e os atacantes Dênis, Lopeu e Afonso Júnior. Vale lembrar que alguns atletas foram poupados: Alex Mineiro e Cléber sofreram sustos durante um treino, mas não tiveram nenhuma lesão constatada.

Com a semana livre de jogos, a expectativa é que o treinador Francisco Diá ganhe dois reforços. Jean e Dedé devem voltar a treinar com o grupo na próxima segunda-feira e podem ficar disponíveis para o jogo contra o Serrano-PB, marcado para o dia 9 de março, mas que deve ser adiado para o dia 10.

Fonte: Globo Esporte