Champions' League: Uefa discute com clubes mudança radical na Liga dos Campeões, que incharia e ganharia rebaixamento

De acordo com o "The Wall Street Journal", partes se reunirão nesta terça-feira para debater uma revolução com a implementação de Superliga europeia

Foto: Hannah McKay/Reuters
Por Ângela Duarte há 5 meses

A Uefa não pretende ficar para trás, após a Fifa anunciar a criação de um novo formato de Mundial de Clubes. Segundo o jornal americano "The Wall Street Journal", a entidade que controla o futebol europeu se reunirá nesta terça-feira com a ECA (Associação Europeia de Clubes) em Nyon, na Suíça, para debater "mudanças radicais na Liga dos Campeões".

Entre as propostas, estão a criação de um sistema de rebaixamento e promoção das equipes, além da transferência de jogos para os finais de semana (atualmente eles acontecem na terça e na quarta). Fala-se também num possível inchaço da competição, e o britânico "Telegraph" noticia que a Uefa deve propor um formato mais longo, com ao menos 14 partidas para cada um dos 32 times.

Essa mudança, apoiada sobretudo pelos grandes clubes do Velho Continente, prejudicará à primeira vista as principais ligas nacionais do Velho Continente, que perigam perder relevância (e calendário, se os jogos continentais forem transferidos para os finais de semana). Na semana passada, inclusive, o presidente de La Liga e homem forte do futebol espanhol, Javier Tebas, criticou a Uefa.

- A Uefa e a ECA estão negociando a portas fechadas para que os outros não saibam sobre as reformas que colocam as ligas nacionais em perigo. Eles estão fazendo reformas na Liga dos Campeões muito perigosas para o futebol. É um modelo muito prejudicial para as ligas nacionais e até para as próprias entidades, já que elas não entendem de negócios - disse, em entrevista publicada pela Reuters na última quinta-feira.

A implementação dessa Superliga europeia, entretanto, não aconteceria antes de 2024. É quando vence o acordo comercial em vigor entre a Uefa e a ECA, que reúne 109 equipes do Velho Continente, incluindo os gigantes de Espanha, Inglaterra e Itália, para o atual formato da Champions.

Novo Mundial

A Fifa anunciou na última sexta-feira a criação de um novo Mundial de Clubes, a ser disputado a cada quatro anos, com a presença de 24 times. A primeira edição será organizada em junho e julho de 2021, em local a ser definido, ocupando a janela deixada pela Copa das Confederações no calendário mundial.

A nova competição terá 24 clubes: oito da Europa, seis da América do Sul e as demais divididas entre os demais continentes. A Fifa deixou para cada confederação continental definir os critérios de classificação ao Mundial.


Fonte: Globo Esporte