Tite revela conversa com Neymar, não julga denúncia de estupro e diz: "Ele é imprescindível"

Técnico da seleção brasileira ressalta lealdade do convívio com o atacante, mas mantém teor da conversa em sigilo e faz ressalva: "Insubstituível, ninguém é"

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Por Ângela Duarte há 5 meses

Fonte: Globo Esporte

Na manhã desta segunda-feira, 25 jornalistas fizeram perguntas a Tite na entrevista coletiva do técnico, na Granja Comary, em Teresópolis. Foram 18 sobre Neymar, principalmente sobre a denúncia de estupro feita por uma mulher contra o jogador na última sexta-feira.

Ao lado do auxiliar Cleber Xavier e do coordenador Edu Gaspar, o técnico disse que teve duas conversas com Neymar e se recusou a revelar o conteúdo, mas ressaltou a lealdade da relação entre os dois. Tite repetiu insistentemente que não julgaria o atacante. Um pouco mais adiante, afirmou que ele é imprescindível, mas não insubstituível na Seleção.

– Eu sei da importância do assunto e sei que ele é pessoal, e tem um tempo para que as pessoas possam julgar os fatos. Eu não vou me permitir julgar.

''O que posso afirmar são os três anos de convívio com o Neymar. Os assuntos pessoais que tratamos foram sempre leais e verdadeiros. Eu não posso julgá-lo'', disse Tite.
Enquanto Tite falava, uma viatura da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática chegou à Granja Comary e entregou uma intimação para que Neymar

 preste depoimento na sexta-feira sobre a divulgação de imagens íntimas da moça na internet. O jogador publicou um vídeo na noite de sábado para se defender da acusação de estupro.

 Edu Gaspar afirmou que buscou assessoria jurídica para auxiliar o jogador e a CBF no caso.

 – Devido à importância do caso, a primeira coisa que fiz foi buscar uma assessoria jurídica para me assessorar em qualquer situação que possa acontecer na Granja Comary. No sábado, recebemos um delegado, conversamos e passamos as informações necessárias. Informei ao pai do atleta que essa assessoria está aqui para centralizar as informações e, a partir daí, tentar resolver o caso o mais rápido possível para ele poder ter cabeça tranquila e seguir na Copa América. 

 A Seleção vai realizar dois amistosos antes do início da Copa América, contra Catar e Honduras, na quarta-feira e no domingo, respectivamente. Indagado sobre como evitar que o ''caso Neymar'' não afete os jogadores e a preparação, Tite respondeu: 

 – Sendo transparente, respondendo às perguntas, mas entendendo que é um processo. Nosso foco é no amistoso contra o Catar. Preparação diária, construção de trabalho em que ele (Neymar) está inserido. Ele é um jogador diferente, mas para ele acontecer há um processo. A equipe está acima disso, nosso trabalho está acima disso.


Confira outras respostas:


Neymar é imprescindível para a seleção brasileira?


Tite: ''Tecnicamente, é imprescindível, sim. Quando a gente fala imprescindível, isso não quer dizer insubstituível. É imprescindível pela qualidade no grupo. Mas insubstituível ninguém é, em lugar nenhum, em nenhum posto''.


Psicológico do Neymar


Tite: ''(Cabeça dele) fica nessa relação que sempre tive com ele. Seleção está acima de todos nós, e dando o nosso melhor, estaremos contribuindo. O senso de equipe está acima de nós todo''.


Relação com o camisa 10


Tite: ''O Neymar é um extraordinário jogador de futebol. Comigo, nas relações particulares, quando converso com o atleta, é muito pessoal. Essa relação é muito transparente, verdadeira. Sempre foi leal dessa forma. É um extraordinário jogador, não vou me permitir julgar''


Neymar merece ocupar a posição que ocupa pelos momentos recentes?

Tite: ''Está contextualizada em cima de tudo que foi colocado. De novo eu falo para não fazer pré-julgamento, deixar para as pessoas responsáveis. Estou focado no meu trabalho, numa seleção que representa o país. Não temos os fatos claros. O tempo pode dar essas respostas todas''.

Extracampo

Tite: ''Situações disciplinares acontecem, e são sempre tratadas da mesma forma. O Adenor está acima do Tite. Pode ter um repente de vaidade, sou orgulhoso, mas não sou burro e tenho tempo de rodagem. Meus valores estão muito bem consolidados ao longo da minha carreira''

Edu responde se a comissão viu o conteúdo publicado por Neymar

Edu Gaspar: ''Não vi todo o conteúdo, sinceramente. Fiquei sabendo dos fatos, mas a partir do momento, pela importância do assunto, busquei assessoria jurídica para a instituição e para mim. A partir do momento que conversei com advogados, fiquei tranquilo por tudo que passaram, como proceder no caso. Não quis me aprofundar nos íntimos detalhes, minha ideia era tentar ajudar o resolver o caso da melhor maneira possível''.

Neymar será liberado quando solicitado

Edu Gaspar: ''Vou ser o mais simples possível, porque é um fato. Sugestão que me enviaram é de estar o mais disponível possível para atender a demanda. Estar à disposição 100% para que a situação seja resolvida''.

Capitania da Seleção

Tite: ''Eu conversei com o Neymar, inicialmente conversei com o Dani (Alves) por telefone, que consentiu. Depois conversei com o Dani pessoalmente. Aquilo que tínhamos falado está na relação do técnico com o atleta. Foi com o Neymar e com o Dani. Tinha que dar essa resposta''.

Opção por Neymar como capitão após a Copa

Tite: ''Naquele momento me foi feita a pergunta: "Se tiver que tirar, tira?". E eu disse que tirava. As atitudes podem falar mais por mim. Entendo quando há o processo. O momento dele é muito único e ele tem do lado uma pessoa leal e verdadeira. Se quiser acionar, como acionou ontem, vamos conversar. Vai ter sempre um cara leal, que vai dizer sim ou não e falar sua verdade''.

Neymar argumentou para não perder a braçadeira?

Tite: ''Não vou responder, coisa muito íntima e pessoal, minha e dele. Quando conversei com Neymar, não disse para quem ia dar a braçadeira. No outro dia, pela manhã, liguei para o Dani (Alves) e disse que também queria conversar pessoalmente sobre a capitania. Já foi capitão, no meu sonho de ganhar a Copa do Mundo era o Dani que levantaria a taça. Ele disse: "Sei da responsabilidade".

Pensa em voltar a braçadeira para o Neymar?

Tite: ''Talvez, tudo é possível. Não sei, o que eu posso é definir o agora, senão ficamos falando em termos hipotéticos, e não é legal. Trabalhando com a condicional, é difícil. Pergunta dura de responder, qualquer resposta que eu der aqui gera uma série de possibilidades. Só gostaria de uma coisa: que vocês tivessem sensatez nas respostas, um livro é escrito num contexto todo. Nunca pedi arrego de crítica, mas a batalha que quero é dar a informação correta. O resto é do jogo, faz parte, errar ou acertar''.

Sobre críticas feitas sobre Neymar em 2012, quando dirigia o Corinthians

Tite: ''A manifestação contextualizada, em 2012. Tinha enfrentado o Neymar sete vezes como adversário, não tinha tido convívio nenhum. Hoje fico tranquilo de dizer que tenho três anos de convívio com ele. Não vou pré-julgar, mas na relação minha e dele, quando conversamos, somos leais e sinceros. Não vou falar de forma pública, é a minha relação. Há diferença entre 2019 e 2012, sete anos. Não vou ter sempre a mesma opinião. Não quero ser o cara que tem uma opinião há sete anos, não olhar o contexto e não mudar de opinião. Me permito mudar de opinião''.

Foco no momento

Tite: ''Eu não posso me fazer comentarista e nem me transpor a outras pessoas. Tenho série de responsabilidades, energia para gastar no que é importante, que é a preparação da equipe. Quero que vocês entendam que meu foco é a preparação para o jogo contra o Catar, 23 atletas em busca de desempenho. Se eu ficar buscando, fazendo projeções, vai me consumir energia que vai me tirar do meu foco''.

Copa América será o torneio mais difícil da carreira?

Tite: ''Talvez. Talvez o primeiro, talvez esse. Talvez tenha sido a Libertadores, o título mundial contra o Chelsea. Talvez. Talvez tenha sido o primeiro jogo contra o Equador, talvez assumido o risco de não classificar para a Copa. Não sei responder''.

Momento mais agudo da carreira de Tite?

Tite: ''Momento mais agudo que tive na carreira foi no primeiro clube que trabalhei, Guarani de Garibaldi. Ato de indisciplina de um atleta, que foi tomar uma cerveja porque estava na reserva. Mas é algo que fica entre nós, conversa pessoal''.

Veja as informações da seleção brasileira para o amistoso contra o Catar:

Local: estádio Mané Garrincha, em Brasília
Data e horário: quarta-feira, às 21h30 (de Brasília)
Escalação: Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro, Arthur e Coutinho; Richarlison, Neymar e Gabriel Jesus. Técnico: Tite
Reservas: Alisson, Militão, Thiago Silva, Alex Sandro, Fernandinho, Allan, Paquetá, David Neres, Everton e Firmino
Desfalques: Cássio e Fagner (estarão em campo pelo Corinthians na terça-feira, contra o Flamengo, pela Copa do Brasil, e só se apresentam depois)
Arbitragem: Jose Argote, auxiliado por Lubin Torrealba e Franchescoly Chacon (todos da Venezuela)
Transmissão: TV Globo (narração de Cleber Machado, comentários de Caio Ribeiro e Júnior, reportagens de Tino Marcos e Mauro Naves), SporTV (narração de Milton Leite, comentários de Lédio Carmona e Muricy Ramalho, reportagens de Eric Faria e Felipe Brisolla) e GloboEsporte.com
Tempo Real: no GloboEsporte.com, a partir das 20h