Cantor de grupo de k-pop, Seungri anuncia saída do entretenimento após escândalo de suborno sexual

Ele é acusado de fornecer prostitutas a investidores estrangeiros em seu clube privado

Foto: BigBang Updates / Reprodução
Por Ângela Duarte há 8 meses

O cantor de k-pop, Seungri, membro do grupo Big Bang, um dos mais famosos da Ásia, anunciou, por meio de uma carta postada em seu instagram, que está saindo da indústria do entretenimento, depois de ser acusado de fornecer prostitutas para investidores estrangeiros em seu clube privado. Além disso, por estar sendo investigado, o cantor foi proibido de deixar a Coreia do Sul. Outros artistas coreanos são suspeitos de envolvimento, de acordo com mensagens vazadas de um grupo em um aplicativo de conversa. 

Na carta, Seungri, que é o membro mais novo do Big Bang, com 28 anos, diz:  "Eu acho que seria melhor se eu me aposentasse da indústria do entretenimento neste ponto, devido às críticas e pelos problemas tão severos que eu causei ao público. Eu também cooperarei fielmente com a investigação para limpar todas as dúvidas e rumores em circulação. Eu fui criticado e odiado pelos cidadãos desse país pelo último mês e meio. Atualmente sendo investigado por muitos detetives, eu também estou sendo acusado como um traidor da nação, e não posso suportar deixar que aqueles ao meu redor se machuquem para que eu possa sobreviver. Sou honestamente agradecido a todos os fãs da Coréia e no exterior pelo seu amor ao longo dos últimos 10 anos. Para o bem da YG (empresa dele) e pela honra do Big Bang, eu acho que é melhor parar por aqui. Novamente, eu sinto muito, muito. Eu sou grato à vocês por todo este tempo".

Seungri, que está sendo investigado desde janeiro, caso não seja condenado, deve entrar para o serviço militar ainda em março, como já havia programado; os outros 4 membros do grupo, G-dragon, T.O.P, Taeyang e Daesung já estão cumprindo os 2 anos obrigatórios de serviço militar.

Este não é o primeiro escândalo que envolve o Big Bang. Em 2017, o rapper T.O.P foi processado pelo uso de maconha (crime grave no país), Alguns dias depois, T.O.P foi encontrado inconsciente no quartel da polícia, devido a quantidade de medicamento prescrito contra ansiedade a base de benzodiazepina que ingeriu, e foi hospitalizado.

Com Assessoria