Como ajudar vítimas do ciclone no sudeste da África

São centenas de desabrigados, sobretudo na região moçambicana de Beira, onde o estrago foi grande e há a preocupação de um surto de cólera

Foto: Hypeness
Por Ângela Duarte há 7 meses

Fonte: R7


O ciclone Idai, que atingiu Moçambique, Zimbábue e Malawi, deixou pelo menos 700 pessoas mortas e um rastro de destruição ainda incalculável. São centenas de desabrigados, sobretudo na região moçambicana de Beira, onde o estrago foi grande e há a preocupação de um surto de cólera.

Embora o Brasil até o momento tenha destinado cerca de 100 mil euros em ajuda humanitária, você pode ajudar com água, comida e outros produtos para a existência básica. Veja algumas organizações disponíveis.

A Organização das Nações Unidas, por meio de um comitê de crises, aceita doações de alimentos, medicamentos e abrigo para os três países atingidos pelo ciclone.

Outro órgão da ONU atuante é a Unicef, que criou uma campanha de emergência para incentivar o envio de donativos. A organização calcula pelo menos 600 mil crianças desabrigadas. O Save the Children também está reunindo esforços para auxiliar o número absurdo de crianças sem casa.

O mesmo vale para o SOS Children’s Villages, determinada em auxiliar crianças e comunidades atingidas por tragédias humanitárias como o Idai.

As pessoas precisam de água, comida, medicamentos e abrigo

O Médico sem Fronteiras estabeleceu uma organização humanitária para a arrecadação de dinheiro para o financiamento de equipamentos com filtro de transfusão, soro e purificadores de água.

Entidades religiosas como a Caritas – organização católica internacional, recebe dinheiro pela internet. A quantia serve para a compra de alimentos, medicamentos e abrigo.

A Catholic Relief Services (CRS), fundo católico dos EUA, abriu campanha para o recebimento de donativos.

Falando em Estados Unidos, o Centro de Excelência contra a Fome dos EUA está imbuído na entrega de alimentos nas áreas atingidas pelo ciclone. O Comitê Judaico-Americano de Distribuição Conjunta aceita doações inclusive em reais brasileiros para ajudar com itens médicos.

A Oxfam reúne 19 organizações e parceiros no combate à pobreza. Representantes do grupo estão no local e pretendem auxiliar 500 mil pessoas. Aliás, a Humanity & Inclusion está em Moçambique e pedem doações de alimentos, água e abrigo para atingidos.

A ActionAid listou algumas necessidades imediatas, são elas, água potável, alimentos, combustível, kits de higiene, mosquiteiros e barracas. Eles recebem doações a partir de R$ 35. A meta é juntar R$ 50 mil.

Por fim, a ASEM Mozambique pede ajuda. A organização filantrópica sediada no país africano foi seriamente afetada pelo Idai.