Cresce o número de brasileiros barrados nas fronteiras da Europa

Aumento foi de 62% em 2018. Brasil se tornou o sétimo país com mais cidadãos impedidos de entrar nos países da União Europeia

Foto: Fabrizio Bensch /Reuters - 21.12.2017
Por Ângela Duarte há 6 meses

Relatório feito pela Frontex — Agência de Fronteiras da União Europeia — mostra que o número de brasileiros impedidos de entrar em países europeus que fazem parte do grupo aumentou em 62% em relação ao ano anterior. Os dados fazem parte de um relatório de riscos divulgado nesta quinta-feira (7) pela agência.

Foram pelo menos 4.984 brasileiros barrados nas fronteiras europeias em comparação com os 3.086 pegos em 2017. Com o aumento, o Brasil se tornou o sétimo país com mais número de cidadãos rejeitados. Em 2017, era o décimo na lista.

Outro país que também teve um aumento exponencial de imigrantes que não puderam entrar nos países que formam a UE foi a Ucrânia, que lidera a lista.

Apesar de estar no continente europeu, a Ucrânia não faz parte do bloco econômico e político da União Europeia, assim os ucranianos precisam de permissão específica para entrar na UE.

Foram 57.593 ucranianos que não puderam entrar na União Europeia. Um aumento de 55% em relação ao ano anterior.

No entanto, o número total de pessoas barradas nos portões da UE cresceu em um ritmo bem menor. O aumento foi apenas de 4%, com 190.930 pessoas que desejavam viver na Europa. Bem menor que as 214.039 pessoas barradas em 2016.

Em relação aos brasileiros, os principais motivos da proibição para entrar foi a falta de documentação adequada ou de visto de permanência.

Além disso, pelo menos 1.926 brasileiros foram deportados de países europeus. O Brasil ficou em oitavo lugar no ranking de deportados, sendo o único do continente americano.

No início deste ano, o governo brasileiro anunciou sua saída do Pacto Mundial de Migração, que poderia ajudar brasileiros nessa situação.


Fonte: R7