Venezuela: Guaidó é proibido de exercer cargos públicos por 15 anos

Controladoria Geral diz que líder da oposição sonegou dinheiro em declaração de bens e que gastos com viagens são incompatíveis com salário de deputado

Foto: Ivan Alvarado / Reuters
Por Ângela Duarte há 7 meses

R7

A Controladoria Geral da Venezuela declarou Juan Guaidó, chefe da Assembleia Nacional e auto-declarado presidente do país, inabilitado para o exercício de cargos públicos pelo prazo de 15 anos, sob acusações de corrupção.

A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (28) pelo controlador geral, Elvis Amoroso. As informações são do jornal venezuelano El Nacional.

"Ele realizou 91 viagens ao exterior sem autorização da Assembleia Nacional, gastando 570 milhões de bolívares (R$ 8.650), gasto que não pode ser justificado pelo seu salário de servidor público", disse Amoroso.

O controlador foi designado pela Assembleia Nacional depois que o Tribunal Superior de Justiça abriu uma investigação sobre as viagens de Guaidó.

Segundo Amoroso, a medida baseia-se na declaração de bens de Guaidó, que para o controlador é "inconsistente".

"Acreditamos que ele sonegou dados em sua declaração e recebeu dinheiro de instâncias nacionais e estrangeiras sem registrar", disse Amoroso.

Ele pediu que o Ministério Público investigue a declaração.