'Biomaquiagem' à base de produtos naturais é alternativa sustentável aos cosméticos

Naturóloga paraibana encontrou na biomaquiagem uma maneira de valorizar a beleza, agregando uma consciência sustentável aos cosméticos

Foto: Giuli Machado
Por Ângela Duarte há 7 meses

Fonte: G1

O hábito de usar maquiagem é uma forma de expressão que transcende a questão estética e representa, também, um estilo de vida. Por essa razão, a "biomaquiagem" tem sido uma alternativa buscada por quem deseja agregar um valor sustentável aos cosméticos que utiliza, ao fazer a opção pelo consumo de produtos naturais, que não agridem o meio ambiente.

É o caso da naturóloga paraibana Nydja Lubia, 25 anos, que redescobriu produtos naturais, artesanais e veganos, e decidiu fabricar a própria maquiagem.

Natural de Campina Grande, mas residente na cidade de São Paulo, Nydja conta que desde 2016 começou a desenvolver trabalhos voltados para a saúde feminina, tendo como base os cuidados naturais, inspirada pela deusa Gaia, que, na mitologia antiga, representa a força geradora de tudo que há no planeta.

Entretanto, foi no fim de 2017 que ela passou a se envolver com a fabricação dos cosméticos naturais e vendê-los, para fazer com que eles chegassem às pessoas que compartilhassem desse mesmo estilo e filosofia de vida. Os cosméticos da naturóloga são feitos à base de produtos como cera de carnaúba, manteiga de karite ou cacau e óleos vegetais de rosa mosqueta, semente de uva e castanha do Pará.

Cursos de maquiagem natural, artesanal e vegana são um mercado em alta no Brasil. Segundo a naturóloga, a ideia é despertar uma conscientização no tocante ao uso dos recursos naturais, a partir de um processo de autoconhecimento e autonomia, desenvolvido por meio da educação e da desconstrução de padrões de beleza estereotipados. “O objetivo é semear os saberes e cuidados que a terra tem a nos oferecer”, comentou.

“Quando era adolescente, eu tinha problema com acne e tentava de tudo para me enquadrar em um padrão de beleza. Em algum momento, decidi que, se não tivesse mais espinha, não iria mais utilizar maquiagem. Depois, desenvolvendo trabalhos com o sagrado feminino e vendo mulheres lindas, maquiadas e empoderadas, senti a necessidade de usar maquiagem novamente, para expressar o meu ser, algo que remete à essência da maquiagem no passado, como forma de expressão”, descreveu Nydja Lubia.

A mensagem a ser passada é de que não precisa de muito para viver bem e feliz, de modo que as pessoas precisam refletir sobre padrões e pequenos hábitos, que somados contribuem com a preservação dos recursos naturais.

“Eu compreendo que nós fazemos parte de um mesmo sistema e quando prejudicamos a terra, quando agredimos essa grande mãe, nós estamos fazendo isso conosco, nos prejudicando e nos matando, também”, frisou Nydja, acrescentando que, no que se refere à biomaquiagem, as pessoas devem acreditar, primeiramente, em uma “beleza que floresce de dentro para fora”, cuidando do seu interior para externar isso em sintonia com natureza.