Polícia investiga se pane elétrica que provocou desabastecimento de água na PB foi criminosa

Pane causou suspensão temporária no abastecimento em Campina Grande e mais oito cidades do Agreste. Boletim de Ocorrência foi registrado três dias depois do caso, segundo a polícia

Foto: Artur Lira/G1
Por Ângela Duarte há 7 meses

A Polícia Civil está investigando a pane no sistema elétrico que ocorreu na Estação de Tratamento de Gravatá, em Queimadas, no Agreste da Paraíba, e que causou uma suspensão temporária no abastecimento de água em Campina Grande e mais oito cidades da região desde a noite da sexta-feira (15). De acordo com a delegada responsável pelo caso, Juliane Brasil, as investigações começaram após um funcionário da Cagepa registrar um Boletim de Ocorrência três dias depois do caso.

Segundo a delegada, as investigações são para descobrir se a pane elétrica, seguida de incêndio, teria sido criminosa ou não. O Boletim de Ocorrência feito por um funcionário da estação foi feito na Central de Polícia Civil de Campina Grande na segunda (18), mas o inquérito só chegou na Delegacia de Queimadas na tarde da terça-feira (19).

“A polícia só começou a dar procedimento ao caso ontem [terça], quando a gente teve acesso ao inquérito. Uma equipe do IPC será encaminhada ao local pra saber se ainda há condições de periciar e aí descobrir se a pane que causou o incêndio foi criminosa ou acidental”, explicou a delegada.

Em depoimento à polícia na noite da segunda-feira (18), o funcionário que estava no local relatou à polícia que outros dois funcionários reportaram uma situação de pane elétrica, seguida de incêndio.

Ainda de acordo com o depoimento do funcionário, a pane elétrica na estação aconteceu por volta das 21h da sexta (15). “A gente não tem como afirmar agora que os indícios tenham sido apagados por causa do tempo, mas a gente vai ao local pra tentar ter alguma resposta”, informou Juliane Brasil.

Conforme a delegada, com uma equipe de investigação na estação, serão ouvidos vizinhos do local, analisadas possíveis imagens captadas de alguma câmera de segurança próximo à região, e ainda vão prestar depoimento os dois funcionários que estariam no local no momento da pane elétrica.

“O resultado da perícia depende muito do resultado do próprio IPC, mas é no mínimo 30 dias. Isso é um dano considerável ao serviço prestado à população pela Cagepa, a gente precisa saber se de fato foi um acidente do próprio sistema ou se houve crime”, concluiu a delegada.

Abastecimento retomado com rodízio

O reabastecimento de água em Campina Grande começou em forma de rodízio às 8h da manhã da terça-feira (19). A cidade foi dividida em duas áreas, conforme o plano de contingenciamento divulgado pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa). O sistema de abastecimento voltou a operar, em esquema de racionamento, com 30% da vazão necessária. A previsão do órgão é de que o abastecimento seja normalizado na sexta-feira (22).

Segundo o Gerente Regional da Cagepa, Ronaldo Meneses, a distribuição da água na área 1 começou gradativamente. A previsão era que os reservatórios fossem abastecidos, para repassar as águas para as áreas indicadas, por volta da meia noite, mas o acionamento do sistema se deu à 1h.

Já o abastecimento das localidades na área 2, em Campina Grande, começou na madrugada desta quarta-feira (20), segundo a Cagepa.

Fonte: G1