No Sem Censura: presidente da AMPB critica retaliação de políticos contra o Judiciário

A retaliação, segundo a magistrada, busca intimidar claramente a atuação da justiça.

Por Adna Melo há 5 meses

Em entrevista ao programa Sem Censura na 89 POP FM, a presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba (AMPB), Aparecida Gadelha, ressaltou que os recentes questionamentos aos auxílios recebidos pelos magistrados são uma forma de recomposição salarial e não são inconstitucionais.

Os ataques recebidos, na opinião da magistrada, demonstram que a categoria está efetivamente tocando em segmentos poderosos, que em outros tempos, não seriam alcançados pela justiça.

A retaliação, segundo a magistrada, busca intimidar claramente a atuação da justiça.

"Lidamos com a pressão de julgar direito todos os dias; é preciso que se saiba que isto faz parte do exercício da nossa profissão", destacou. Aparecida também refletiu sobre a necessidade de mudanças quanto ao modo de acesso dos magistrados aos Tribunais superiores do país: "precisamos discutir esta questão em profundidade e oportunizar o acesso de juízes de carreira verdadeiramente experimentados no exercício da magistratura e que sejam conhecedores das dificuldades das partes envolvidas em um processo. O juiz não pode ser um ente distante da realidade", analisou. 

Ouça a entrevista no áudio disponível acima.