Anvisa proíbe o uso de aditivos à base de alumínio em alimentos

Queijos processados, sopas, massas de pasteis, pães e biscoitos são alguns dos alimentos afetados pela nova regra

Foto: Reprodução
Por Ângela Duarte há 5 meses

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu o uso de aditivos à base de alumínio em diversas categorias de alimentos. A resolução já foi publicada no Diário Oficial da União e se incorpora à uma resolução do Mercosul com o mesmo objetivo e que atinge todo o Mercado Comum do Sul, do qual o Brasil é membro fundador junto com a Argentina, Paraguai e Uruguai.
 
A decisão da  Anvisa foi feita em observância a recomendações internacionais da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/OMS) sobre os riscos do uso de aditivos alimentares contendo alumínio. De acordo com alertas do órgão internacional, o alumínio pode se acumular no corpo humano e causar danos aos sistemas reprodutivo e nervoso.
 
A Resolução estabelece prazo de doze meses para que as empresas se adequem às novas regras e permite que os alimentos fabricados durante o prazo de adequação sejam comercializados até o final dos seus respectivos prazos de validade.

O alumínio é uma substância que ocorre naturalmente no ambiente e sua presença nos alimentos pode ser decorrente dessa ocorrência natural, seja pela migração de materiais em contato com o alimento ou pela adição de aditivos alimentares na formulação dos produtos. Sobre a ingestão da substância, a Anvisa explica que os malefícios à saúde causados pelo alumínio estão associados com consumo semanal superior à indicada, que é de 2 mg/kg. 

Alguns exemplos de alimentos diretamente afetados pelas novas regras e que deixarão de conter aditivos alimentares à base de alumínio são os corantes de superfície de confeitos, queijos processados ou fundidos, sopas, fermento químico presente em farinhas, massas para pastéis e pizza, além de pães e biscoitos.

Com Assessoria