​Núcleo de Acolhida Especial é reinaugurado na Capital

Serviço agora funcionará no Bairro dos Estados; fundado em 1977, o núcleo já realizou mais de 10 mil atendimentos

Foto: Luciana Bessa
Por Ângela Duarte há 8 meses

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) reinaugurou, nesta terça-feira (19), o Núcleo de Acolhida Especial (NAE). O local, que funcionava no bairro do Rangel, em João Pessoa, passa a funcionar na Avenida Mato Grosso, 987, no Bairro dos Estados.

 O NAE é um espaço criado para receber pessoas em situação de trânsito para tratamento de saúde. Fundado em 1977, o núcleo já realizou mais de 10 mil atendimentos desde a sua fundação. O acesso ao serviço se dá por meio de encaminhamento das Secretarias de Assistência Social dos municípios do estado, por intermédio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

 "Estamos realizando uma mudança na caracterização do serviço em relação à estrutura física, a recursos humanos e à gestão, buscando viabilizar o melhor atendimento possível. Nós já tínhamos um serviço desenvolvido no Rangel. Na reestruturação um dos pontos considerados foi trazer uma cara de casa para o núcleo. Os usuários passam boa parte do dia nos atendimentos em hospitais, quando saem de lá precisam estar em um lugar acolhedor que se pareça o mínimo com uma instituição",  explicou Wênia Lisboa, gerente operacional da Proteção Social Especial de Alta Complexidade.

 O NAE oferece aos usuários e seu acompanhante lugar para dormir, banho, refeições e a assistência de uma equipe composta por uma coordenadora, assistentes sociais, psicólogo, nutricionista, cuidadores, serviços gerais, vigias e motoristas. Maria do Socorro Nóbrega, coordenadora da casa, relata a rotina do espaço: "Existem usuários que chegam já na segunda-feira, nos carros das prefeituras, mesmo só tendo atendimento na terça ou na quarta. Eles passam o dia, fazem as refeições, quando saem para o atendimento têm um carro que os leva e que os trás. À noite, se eles precisarem, nós temos um cuidador que é técnico em enfermagem, que está 24 horas na casa. Esse cuidador, quando necessário, também acompanha o usuário aos atendimentos".

Com Assessoria