Nutricionista alerta para os perigos do consumo de bebida

Costuma-se exagerar na bebida durante o feriadão

(iStock/Getty Images)
Por Ângela Duarte há 4 meses


As bebidas alcoólicas não fornecem nutrientes ao organismo, são altamente calóricas e, ainda, proporcionam um processo inflamatório no organismo do indivíduo, que desacelera o metabolismo e aperfeiçoa o ganho de peso corporal. Mesmo assim, é muito comum consumir bebidas alcoólicas nas festas, e, no feriadão não seria diferente. Contudo, o exagero pode trazer vários malefícios à saúde.

O nutricionista clínico e esportivo do Hapvida em João Pessoa, Danilo Machado, destaca que um dos principais riscos ao organismo pela ingestão de álcool está relacionado com a associação da bebida alcoólica com os energéticos “Esse tipo de bebida é rica em cafeína, taurina e açúcares; quando associados a bebidas alcoólicas se torna uma bebida perigosa para o organismo, podendo desencadear inúmeras reações e transtornos, como convulsões, arritmias e até levar a morte súbita”, explica.
 
Ainda em relação ao consumo de energéticos, o nutricionista alerta que “inicialmente é preciso saber que essas substâncias foram criadas para incrementar a resistência física, proporcionar reações mais rápidas e duradoras, evitar o sono, estimular o metabolismo e aumentar o estado de alerta mental”, esclarece.
 
O efeito do álcool de forma excessiva ou prolongada no organismo humano pode afetar de forma direta alguns órgãos, músculos e pele. Além disso, dependendo da condição física do indivíduo é possível destacar alguns efeitos imediatos no organismo, a exemplo de: dor de cabeça, sonolência, vômitos, visão turva, dor no estômago, alteração na capacidade de raciocínio, diarreia, azia, desconfortos abdominais, e outros. Já em longo prazo problemas de hipertensão, arritmias cardíacas, aumento do colesterol e arteriosclerose e a cardiomiopatia alcoólica.
 
Outro fator que apresenta prejuízos a saúde pela ingestão excessiva de álcool está relacionado à consumação reduzida de alimentos ou alimentação inadequada. O nutricionista esclarece como se dá o processo. “O álcool é absorvido pelo intestino delgado, para onde passa rapidamente quando ingerido de estômago vazio, provocando assim, um pico elevado na corrente sanguínea. Diferente de quando se bebe após a refeição, o álcool é absorvido é absorvido de forma lenta, pois o esvaziamento gástrico demora mais e o pico de concentração no sangue é de forma moderada, tornando-se menos tóxico ao organismo do indivíduo”, esclarece.
 
O especialista afirma que “o melhor seria não beber, mas se decidir fazê-lo, a orientação é controlar o pico de concentração dos alimentos para que a absorção do álcool pelo organismo ocorra de forma lenta”, orienta.